11 de setembro de 2008

Espelho que vê

Espelho que vê, reflete a luz
Reflete a imagem inversa
De tudo
De todos
Não tem memória
Não guarda lembranças
Apenas reflete
Não tem sentimento
Mas traz vida dentro de si
A vida sem vida
A luz sem luz
É forte, é frágil, não pode quebrar
Pois tudo que viu, de tudo, de todos
Jamais voltará a luz refletir
Pequenos espelhos, pequenos pedaços
Diversas imagens, novas visões
Assim passarão, o mundo enxergar
Uma realidade, várias visões

1 comentários:

Anônimo disse...

Que lindo, muito inteligente o texto.

Beijos.
Márcia