27 de dezembro de 2010

Estrela da paz


Um novo ano se aproxima
Novas esperanças, antigas aspirações
Concluir o inacabado
Reinventar o futuro
Pensar, planejar, agir
Uma nova era está por vir
Trilhar um novo caminho
Seguir a estrela da paz
Por tantos buscada, por tantos seguida
Que sua luz seja o manto que a todos cobre
Faça com que seu calor seja nossa energia
Estrela da paz
Abra as suas asas sobre todos nós
Conduza-nos com segurança no ano que se aproxima
Dê-nos a condição de lutar e a certeza de vencer
Feliz ano novo a todos!

20 de dezembro de 2010

Eterno Natal

 
Passam-se os dias, vão-se os anos
As esperanças são renovadas
Algo diferente paira no ar
É clima de alegria, é momento de renascimento
É Natal
Muito além de uma festa
Muito além de um  simples presente
É hora de refletir
Pensar no caminho percorrido
Aproveitar o que de bom foi realizado
Aprender com os erros cometidos
E assim, construir a nova estrada
Um novo caminho a trilhar
A vida se renova
Em nós mesmos, renascemos a cada dia
Que este Natal seja mais do que uma data festiva
Vamos comemorar
E aproveitar a oportunidade de fazer um Natal diferente
Mudar, transformar
Fazer com que cada dia seja um eterno Natal

13 de dezembro de 2010

Porta aberta


Acendeu-se a luz, foram-se as trevas
Os dias de luta deram lugar ao remanso
O suor exauriu-se do rosto sem deixar vestígios
À sombra reconfortante de uma árvore, o repouso
Recuperando as forças, pelo cansaço levadas
Fim de uma dura jornada, é hora de colher os frutos
Deixar para trás os sonhos e quimeras
Recuperar as energias e recomeçar
A porta, enfim foi aberta
Os devaneios transformaram-se em realidade
Após diversas batalhas, vitórias e derrotas
A guerra foi vencida, é o fim de um longo caminho
O talvez e o quem sabe, são palavras jogadas ao vento
O momento é de ação, a hora é agora
O passado ficou na lembrança
Vamos celebrar a vitória conquistada
Dar um passo à frente e retomar o caminho
O futuro ainda não chegou e nem vai chegar
O futuro é hoje

6 de dezembro de 2010

O campo da vida

 
Ao nascer, recebemos da Divina Providência o dom da vida. É importante salientar que somos os únicos responsáveis pela construção do nosso fadário. 
Temos à nossa disposição um campo de terra virgem, já arado e pronto para receber a plantação e que tornar-se-á a fonte que irá abastecer-nos por toda a nossa existência. Ali será cultivado nosso destino.
Mas tudo isso será possível se realmente cuidarmos do nosso plantio com carinho e dedicação. Se quisermos colher no futuro, teremos que plantar no presente. Torna-se grande a nossa responsabilidade.
E não é só plantar; nossa plantação, ou melhor, nossos sonhos precisam ser regados, adubados, protegidos das tempestades, chuva, geada, para tornarem-se realidade e transformarem-se em abundante colheita.
Diariamente, estamos aprendendo; e com isso, conseguimos a condição de aprimorar nossos hábitos. É certo que nem todos os momentos serão de fartura, existirão aqueles períodos em que a terra encontrar-se-á cansada e sem vida; abatida pela falta de chuva e maltratada pelo tempo. 
É hora de renovar. Hora de refazer a plantação, revolver a terra, arrancar as ervas daninhas, arar o campo, adubar e preparar um novo plantio. Depende de nós. Tudo está à nossa disposição, é só arregaçar as mangas e recomeçar. 
Aproveitar as boas técnicas anteriormente utilizadas e corrigir o que não deu certo. Tanto a nossa vida quanto uma planta precisam de cuidados diários. 
Nem água demais, nem sol em excesso, tudo na medida certa. Se uma planta está abatida e maltratada, não devemos descartá-la; devemos cuidar para que seja recuperada e volte viver. Assim somos nós.
O campo da nossa existência depende de nossa conduta para sobreviver e frutificar; a colheita está à nossa espera. Vamos cuidar bem da nossa plantação, vamos tratar com carinho a terra que recebemos. 
Foi um presente de Deus e que somente a nós cabe a missão de cultivá-la.

29 de novembro de 2010

Tímida luz


Luz, tímida luz   
Ilumina minha alma, ilumina meus sentimentos
Seja o sol que clareia a minha vida
Seja o farol que guia os meus passos
Por ti sou conduzido
Por seu brilho sou fortalecido
Luz, tímida luz
Energia que não se apaga
O velho lampião ainda resiste
Pelo tempo abatido, corroído pelos anos
Mas determinado em sua missão
Propagar ao mundo, a sua incandescente luz
És a minha estrela guia, minha fonte de calor
Seja sempre o manancial vivo de energia
Nunca perca a sua essência
Nunca deixe de brilhar
Luz, tímida luz
Resista aos ventos,  às tempestades
Não se curve aos momentos de turbulência
Mantenha sempre sua chama acesa
Assim como eu, muitos precisam de ti
Para iluminar nosso caminho
Para aquecer nossos corações
E, principalmente, dar direção à nossa vida

18 de novembro de 2010

Faça acontecer

 
Da mesma forma que vem, vão-se as oportunidades
Não se sabe como ou quando virão
Ocultas em certos momentos, evidentes em tantos outros
O importante é não desperdiçá-las
Como o castelo de areia à beira-mar
Como a pedra de gelo que ao sol se desfaz
Como a estrela cadente que atravessa o céu
São instantes mágicos e únicos, não se repetem
Estar atento aos pequenos detalhes
Buscar o conhecimento e observar
Saber o que queremos e seguir nosso trajeto
A vida não tem volta
Perder uma oportunidade é atrasar nossa viagem
É ter que reformular nossos objetivos
Mas sempre há tempo de recomeçar
Repensar os atos impensados
Valorizar as boas atitudes
O acaso torna-nos donos do nosso destino
Somos comandantes de nós mesmos
O mundo nos espera de braços abertos
É hora de acordar para a vida
Faça acontecer!

12 de novembro de 2010

Ser e estar


Ser feliz é estar de bem consigo
Ver a vida além do óbvio
Acreditar no que o mundo não crê
Ver, nos momentos de dor, a alegria
Aprender antes de ensinar
Não receber sem ter ofertado
Ser feliz é fazer da lágrima, um sorriso
É tomar atitude, é agir, é ir em frente
Mesmo na necessidade, estender a mão
Dividir as forças, multiplicando as energias
Nunca estar só, qualquer que seja o caminho
Ser feliz é receber um sorriso inesperado
Uma palavra de afeto, um ombro amigo
Saber que a vida é muito mais do que se espera
E mais importante do que podemos valorizar
Ser feliz é direito de todos nós
Mas é atributo de poucos
Daqueles que verdadeiramente crêem
Em si mesmo, no amor e na vida

9 de novembro de 2010

Suave brisa

 
Brisa, suave brisa
Acalenta-me com seu delicado toque
Embriaga-me com o perfume deixado no ar
Não sei de onde vem, nem para onde vai
Só sei que sinto sua presença
Tão suave qual uma nuvem de algodão
É a sua maneira de acalentar
Trazendo afago e levando alegria
A todo canto, a toda gente
Vejo a folha que por ti é conduzida
Qual mãe embalando a criança
Sua ternura é ímpar, transbordando serenidade
A todos encantando, a todos seduzindo
Brisa, suave brisa
Não posso vê-la ou tocá-la
Mas sei que está ao meu redor
Brevemente irá partir, prometendo voltar
Não sei quando, não sei onde
Mas sei que em algum lugar hei de encontrá-la

3 de novembro de 2010

Viver a vida


A caminhada é imensa
Mas descobri que é feita de pequenos passos
O oceano é gigantesco
Porém, é tão somente a união de minúsculas gotas
O sol é uma grande estrela
Mas é apenas o agrupamento deinúmeras centelhas de luz
O deserto parece não ter fim
Entretanto, não passa de um amontoado de finíssimos grãos de areia
A imensa floresta é interminável
Contudo, a menor das folhas faz parte de seu universo
Tudo parece distante, nada podemos alcançar
Não obstante, tudo se encontra ao nosso alcance
O que é grande, passa a ser pequeno
O difícil transforma-se em fácil
O inatingível reverte-se em conquista
O que era impossível, torna-se possibilidade
O que era sonho, agora é realidade
Assim sendo, resta-nos somente
Tentar e não desistir
Caminhar para a frente e não voltar
Chorar, se preciso for; sorrir, sempre
Fazer do medo, a coragem
Transformar a derrota em motivação
Estarmos prontos para o que der e vier, seguir nosso destino
Afinal, a vida é feita para se viver

27 de outubro de 2010

Tudo tem seu tempo

A porta abriu-se vagarosamente. O rangido ecoou em minha mente, fazendo com que eu me despertasse após uma longa noite de sono.
"Filho, levante-se; já está na hora!" Disse minha querida mãe, ao adentrar o meu quarto, enquanto abria as janelas.
O sol já se fazia presente, e sabia que aquele dia seria muito importante em minha vida. As portas do futuro abriam-se para mim.
Separei a minha melhor roupa ainda na véspera. Minha mãe havia lavado e passado com dedicação e carinho. Os sapatos já estavam engraxados; enfim, tudo estava pronto e arrumado.
Após o banho, tomei aquele café delicioso que minha mãe fazia como ninguém. Conversando com ela, falei sobre a importância daquele momento tão especial para mim. Parecia que o tempo passava mais depressa.
Olhei o relógio e percebi que estava atrasado. Despedi-me de minha mãe com um beijo e saí. Ainda no corredor do prédio, dei mais um aceno à minha mãe enquanto o elevador chegou. 
Desci prontamente, e dirigi-me até o ponto de ônibus. Enquanto o ônibus não chegava, divagava em meus pensamentos: "É tão importante alguém ter a oportunidade que estou tendo nesse momento, e agradeço a Deus por tudo o que estou vivendo."
Sei que, de hoje em diante, minha vida irá sofrer uma grande mudança. Com vinte anos de idade, posso dizer que meu caminho começa agora.
Bem, o ônibus chegou e entrei rapidamente. O trajeto não era longo; não demorou quase nada e, finalmente, lá cheguei. 
Era o meu primeiro dia de trabalho. Quanto orgulho e, ao mesmo tempo, quanto medo e incerteza. Mas como dizia minha mâe: "Larga de ser bobo, menino. Não precisa ter medo; vá em frente, que você vai conseguir."
E realmente, daquele dia em diante, nunca tive medo de nada. Bons momentos vieram, assim como dias difíceis se passaram. O tempo correu, tive outros empregos, casei-me e minha mãe partiu para outro plano. Mas nunca fiquei só. 
Os conselhos que recebi de minha mãe, na minha infância e na minha juventude, ainda em mim permanecem. E tenho a consciência que sempre serei um vencedor; pois construí minha vida baseada no princípio de que, se queremos, tudo podemos. Jamais devemos pensar em desistir.
Tudo tem seu tempo; mais cedo ou mais tarde, o sucesso chegará.

22 de outubro de 2010

O mundo perfeito

Pelo menos em minha mente, existe um mundo perfeito
Onde a guerra é somente uma vaga lembrança
Nele, o amor se encontra dentro de cada coração
A paz reina entre as nações
As famílias vivem em perfeita harmonia
A natureza não é degradada pelo ser humano
Nesse mundo de minha imaginação
Não existe fome
Não existe ódio
Não existe falsidade
A maldade também não existe
A caridade é por todos praticada
Ilusão? Utopia? Nem tudo é o que parece
É só mudar o foco de nossos atos
Para que possamos viver essa realidade
Viver o mundo de nossos sonhos
Não é preciso mudar o mundo
Não são necessárias grandes transformações
É importante que cada um mude seu interior
Crie dentro de si um mundo sublime
Onde a perfeição faça parte de sua vida
E assim, quando todas as pessoas tiverem mudado
Formando uma imensa corrente do bem
Chegará o grande momento
Em que poderemos viver em um mundo perfeito
Por cada um construído, por todos vivido

15 de outubro de 2010

Um novo dia


Cai a noite
É mais um ciclo que termina dando lugar a um novo dia
O sol dá espaço às estrelas; que, agora, reinam no céu
Velhos sonhos são remodelados pelo dia que se aproxima
Antigas aspirações tornam-se novos desejos
A alegria de uma nova manhã torna-se realidade
A vida se enche de novas cores
A vontade de vencer é fortalecida
Foi-se a noite; o dia faz-se presente
Tudo o que não aproveitamos, ficou pela madrugada
As experiências mal vividas, a noite tragou
A nova jornada inicia-se como um livro em branco
Onde apagamos os erros e escrevemos os acertos
Essa oportunidade é única
Erros virão, mas que sejam novos erros
Pelo dia vividos, pela noite transformados
A única certeza é que a noite sempre virá
E assim, sabemos que podemos agir sem medo
Pois quem segue seu caminho com determinação
Sabe que uma luz sempre estará à sua espera

12 de outubro de 2010

O elo Divino


Sempre nos questionamos
Qual o segredo da nossa existência?
Para muitos, ela é tão simples
Para outros, nem tanto assim
Muitos a consideram um mundo de dificuldades
Outros tantos, nela veem um mar de oportunidades
Um detalhe é muito importante e devemos considerá-lo
Valorizar sempre um elo de ligação entre os acontecimentos
Viver o presente, não se esquecendo do que há por vir
Se vamos dormir, saber que acordaremos para um novo dia
Quando acordamos, temos a oportunidade de abrir os olhos e levantar
Se nos levantamos, podemos tomar banho e despertar
Ao despertar, podemos dedicar nosso dia ao trabalho
Trabalhando, sentiremos que somos úteis
Ser útil ao mundo e a nós mesmos é um alimento para a alma
Alimentar a alma é a essência da vida, onde a paz encontramos
A paz é o principal elo de ligação entre nós e o Criador
Que, na plenitude de de sua divindade
Mostra-nos o verdadeiro caminho que à felicidade nos conduz

5 de outubro de 2010

O valor da vida

Qual valor de um sorriso? Quanto vale a beleza da primavera? 
Quanto pagaríamos por um raio de sol? Teria preço a saúde perfeita?
Diariamente a vida nos oferece inúmeras oportunidades. Ao acordar, estamos diante de uma inifinidade de bênçãos que, geralmente não nos damos conta de que temos um tesouro em nossa mãos e não percebemos.
Curiosamente, essas preciosidades são a nós ofertadas gratuitamente; mas, se não as temos ou as perdemos, muitos de nós dariam tudo para recuperá-las ou tê-las simplesmente. É importante viver bem o momento presente.
É tão bom acordar e abrir os olhos, levantar e tomar um banho, tomar café, por uma roupa limpa, trabalhar, alimentar-se, caminhar, enxergar, ouvir música, beber água, namorar, sentir o perfume das flores, dar e receber um abraço, ter junto a si a família, amar pai e mãe, amar marido ou esposa, amar os filhos e irmãos, e por aí vai... Quanta coisa, não é mesmo?
Diariamente, essas graças se encontram ao nosso alcance. Não é preciso ter a falta de qualquer uma delas para valorizá-las e clamar para que as tenhamos de volta. Somos donos do nosso destino.
Pare para pensar: você tem tudo nas mãos, você tem força e poder, você é rico!
Tenha a certeza que, pensando e agindo dessa maneira, você irá mudar o rumo da sua vida. E descobrirá quantas maravilhas se encontram ao seu lado.

1 de outubro de 2010

Lutar para vencer

Tocar a luz, ouvir as cores, enxergar o som
Ir e voltar sem ter partido
Aprender sem ter sido ensinado, conhecer ser lá ter estado
Ir ao encontro da felicidade por intrincados caminhos
Desbravar o desconhecido, vencer o temor
Fazer da vida uma constante corrida
Transformar o inimaginável em realidade
O que parece incongruente, torna-se lógico
Qual o sentido da vida?
Por que aqui estamos?
Qual a nossa missão?
Questionamentos singulares, múltiplas respostas
Cada um de nós conhece o seu caminho
E, para suas perguntas, busca suas soluções
É preciso enfrentar as dificuldades com estratégia
Analisar cada momento como se fosse uma batalha
Conhecer o terreno que pisamos, usar as armas que possuímos
Derrotar o inimigo invisível
Lutar para vencer, esse é o nosso mandamento

27 de setembro de 2010

Meu universo

 
A cada dia, nasce uma estrela em meu céu
Como se fosse uma constelação de pensamentos e experiências
As alegrias conquistadas e dificuldades superadas
São pontos de luz na imensidão do meu ser
As alegrias, estrelas que nascem e brilham
As dificuldades, estrelas que se apagam e não voltam
Quando nasce o dia, o brilho do sol oculta meu interior
Quando cai a noite, posso ver a luz de minha alma
Cada constelação, cada ponto de luz no infinito
Somente eu sei o valor de cada uma de minhas estrelas
Que em mim habitam e a todos iluminam
Esse é o meu universo
Que enriquece e dirige minha vida
E faz de mim um ser iluminado por Deus

13 de setembro de 2010

Jardim de emoções


O astro-rei ilumina minhas manhãs
Não posso tocá-lo; sinto, porém, sua presença
A suave brisa acaricia meu rosto
Sei que ela se faz presente, mas não consigo vê-la
Debruçado na janela, contemplo meu florido jardim
As delicadas folhas guardam o precioso orvalho
Pela madrugada formado, esperando os primeiros raios do sol
Beija-flores em profusão, qual um carrossel, afagam as flores
Sorvendo-lhes a preciosa e vital energia
A algazarra de insetos proporciona um ambiente de alegria
Um delicado aroma de flores invade o ambiente
Fico enebriado diante de tanta paz
O que vejo e sinto remete-me à reflexão
À minha frente, quanta vida se faz presente
Quanta beleza em tão pouco espaço
Quanta riqueza em minhas mãos
Sou dono da luz, sou dono do vento
São minhas as flores, a natureza a mim pertence
Sou dono do mundo, a paz é o meu presente
Diariamente, sou agraciado pela vida
Por possuir tantos tesouros sem realmente tê-los
Esse é o grande segredo : Ter, mas não possuir
O mundo está em minhas mãos, assim como qualquer pessoa
Nele, encontro o jardim perfeito para plantar emoções
E colher as flores que enfeitam a minha vida

8 de setembro de 2010

Toque de Midas


Talvez alguns não conheçam a história do Rei Midas, personagem da mitologia grega. O monarca, ao ajudar um amigo do Deus Baco, por este foi recompensado: foi-lhe concedido seu mais ardente desejo.
Tudo o que ele tocasse, viraria ouro. E assim foi feito: Se tocasse uma flor, em ouro seria transformada. Ao tocar uma pedra, da mesma forma seria convertida em ouro. E assim os fatos se sucederam.
Acontece que ele não previu o mais importante: Assim como tudo o que fosse tocado por suas mão, os alimentos também o seriam.
Resumindo, o poderoso Rei Midas nunca mais pode comer; e como seu desejo não pode ser revertido, estava morrendo de inanição por não se alimentar.
O Soberano voltou a procurar Baco e pediu-lhe que tirasse dele esse poder. Baco orientou-o para que se lavasse nas águas do rio Pactoros e, efetivamente, depois de ter tomado banho naquele rio, ele perdeu o poder de transformar tudo em ouro. O arrependimento falou mais alto.
A consciência dessa transformação fez com que Midas abandonasse sua ambição material e passasse a viver de maneira mais simples e humana.
Essa história serve para refletirmos acerca da ganância que abate o mundo moderno. Muitas pessoas nâo têm limites sobre a forma com que desejam conquistar bens materiais e se esquecem de que são mortais como qualquer outro ser humano.
De que adianta ter tantas riquezas, se uma simples doença ou uma derrocada financeira iguala-os a qualquer semelhante; seja de qualquer classe, seja de qualquer raça. A riqueza deve ser conquistada naturalmente; porém, se sabiamente utilizada, renderá frutos que contemplarão benefícios àquele que a produziu e a todos os que compartilharem de sua sabedoria.
A utilização dessa sabedoria poderia ser classificada como um toque de Midas do mundo contemporâneo. Tudo o que tocássemos, em amor poderia ser transformado, e assim por diante.
Não teríamos limites; o poder de transformar em ouro tudo o que estivesse ao nosso alcance, seria equiparado à faculdade de disseminar o amor ao mundo inteiro. Com a diferença de que seríamos agraciados com essa condição; mas não seríamos punidos, assim como aconteceu com o Rei Midas.
Fazer o bem, multiplicando o amor, é algo que o ser humano precisa aprender e praticar; o grande beneficiado será o próprio homem.
Tudo é possível; só assim teremos uma sociedade justa e fraternal.

1 de setembro de 2010

Acreditar sempre


Eu acredito na vida, apesar da intolerância do ser humano
Eu acredito na luz, mesmo que o sol não venha a brilhar
Eu acredito no amor incondicional, ainda que haja rancor
Se a vida nos traz espinhos, a rosa nos dá a ternura
Se o cansaço nos abate, o descanso nos conforta
Se a sede nos fatiga, a água nos traz o alívio
Se a escuridão nos amedronta, a luz nos fortalece
Se a dúvida nos enfraquece, a confiança nos eleva
Viver é caminhar contra o vento
Atravessar tempestades e sair ileso
Se ferido for, tirar as lições aprendidas e prosseguir
Tolerando o ser humano
Redescobrindo a grandeza do sol
Amando incondicionalmente
Todos os espinhos serão arrancados
O cansaço será vencido
A sede será saciada
Encontraremos a luz
Desistir? Jamais
O sentimento da desistência deve ser efêmero
Como se fosse uma breve pausa
Motivando-nos para o recomeço
Acreditar sempre, essa é a nossa missão

27 de agosto de 2010

Dar e receber


Passam-se os dias; e com eles, segue nossa vida
Vivemos em um mundo com os olhos fechados
Enxergamos apenas o que a nós interessa
Vemos somente aquilo que nos satisfaz
Mas o mundo é muito mais
A alegria de um sorriso, o calor de um abraço
A mão estendida, um ombro amigo
A sorte de quem algo pode fazer a uma alma carente
O que possuímos, a nós não pertence; compartilhar é nosso dever
Não podemos ignorar um coração que clama por ajuda
Não devemos deixar que uma lágrima brote de um olhar
O tempo não volta
Vamos abrir nossos olhos e olhar para os lados
Descobriremos que existem muitos mundos
Saberemos que, quando ofertamos, também recebemos
Aprender e ensinar, dar e receber
A vida é uma troca de experiências
Ninguém passa isolado por esse caminho
Se sucumbimos e levantamos, é porque alguém estendeu-nos a mão
Se, em nosso trajeto, tivemos as portas abertas
É porque alguém as abriu e fez com que prosseguíssemos
Faça a sua parte sem esperar recompensa
Seja como aquele lavrador, que ao solo lança as sementes
Mas não colhe os frutos produzidos
Viva intensamente, faça acontecer

23 de agosto de 2010

Antíteses


O fogo queima, aquece, destrói
A água sacia, purifica, devasta
A terra abriga, renova, sepulta
O ar dá vida, acalenta, aniquila
A luz nos guia e nos cega
O que nos fere, nos protege
Nada é absoluto, tudo é possibilidade
Viver é desafiar o perigo, é celebrar a paz
Em busca dos nossos ideais, seguimos nosso destino
Na mesma estrada, duas direções; seguir em frente é preciso
O tempo é o mestre do saber, mostra-nos o caminho a trilhar
Tudo aquilo que nos eleva, pode nos consumir
O aprendizado da escolha é fundamental
Conviver com antíteses faz parte da vida
De uma existência de decisões
O que realmente importa é ter consciência
De que, para se atingir nossos objetivos
Antes de tudo, é preciso ver o mundo com outros olhos
De que se vê e de quem é visto

17 de agosto de 2010

Plumas ao vento


Passo a passo. Esse é o ritmo a nós imposto em toda a nossa vida. Construir um caminho e segui-lo não é tão simples quanto parece.
Para se atingir um objetivo, antes de mais nada, é preciso identificar a qual ponto queremos chegar. O ponto de partida pode não ser o mesmo para todos, mas é imprescindível haver um começo.
É muito importante organizar e traçar um roteiro do trajeto a ser seguido; quais os meios que utilizaremos nesse percurso, as possíveis dificuldades que poderemos encontrar. Enfim, planejar é a palavra chave.
A atitude de dar o primeiro passo é o começo da concretização de nossos projetos. A partir desse momento, sabemos que não poderemos voltar atrás.
É como as águas do rio que correm em direção ao mar; elas seguem seu rumo, sem consciência do destino que as espera. Mas nós sabemos o que queremos.
Para quem realmente quer chegar ao topo e realizar seus propósitos, nenhum obstáculo será impedimento em nosso caminho.
O cansaço virá, o desânimo chegará, a vontade de desistir tentará dissuadir-nos. É hora de reagir! Enxugar o suor da testa, olhar para a frente, transformar cada passo em um novo ponto de partida.
Não devemos olhar para o horizonte distante e pensar: "Poxa, é muito longe, nunca irei conseguir". Devemos sim, fracionar as nossas metas em pequenas partes; pequenos horizontes que irão se tornar viáveis e com maior possibilidade de conquistar o sucesso desejado.
É a melhor maneira de se alcançar o que parecia inatingível. Com certeza, todos os nossos desígnios serão concretizados.
O que no passado representou para nós um pesado fardo, hoje não passa de leve pluma soprada ao vento.

11 de agosto de 2010

Eternidade


Exalando um inigualável perfume, destaca-se a imponente rosa
Suas pétalas aveludadas são como um manto avermelhado
Outrora, tímido botão; hoje, fulgurante flor
Encanta-se quem a admira, apaixona-se quem a possui
O tempo é seu único oponente, a rosa tem pressa
Ela sabe que seu esplendor é efêmero, sua beleza é finita
Passam-se os dias, a natureza não dá tréguas
Lentamente, uma a uma, as pétalas vão se desprendendo
Fazendo do solo um delicado tapete vermelho
Os espinhos teimam em ficar; permanecem imóveis
A rosa já não existe, seu perfume é apenas uma lembrança
Seu encanto ficou marcado na memória, não foi esquecida
Porém, nada está perdido; ainda há uma esperança
Nada se perde, tudo se renova
Aquela formosa flor ainda vive; transformou-se em sonho
Renasceu bela e formosa para viver eternamente
Ainda que em pensamento, sua fragrância continua a nos enebriar
Olho para o chão e vejo meus pés sobre um tapete vermelho
São as pétalas da rosa, que agora são meu esteio
E alimentam minha alma; ensinando que, acima de tudo
Tudo o que nos traz felicidade, é imortal

6 de agosto de 2010

Receber e conceber


Pertencemos ao universo; em nós, reside a luz
Somos portadores da energia Divina, somos filhos de Deus
Somos o grão de areia, somos a praia
Somos a gota de água, somos o mar
Somos a partícula de ar, somos o vento
Somos a centelha de calor, somos o sol
Somos a pequena folha, somos a floresta
Somos seres humanos, somos a humanidade
Temos o poder e a capacidade de agir
Ninguém vive sozinho, nenhum homem é uma ilha
Inquestionavelmente, fazemos parte de um todo
Assim como fazemos parte deste mundo
Não devemos esquecer que o mundo habita nosso interior
Viver é repartir, viver é compartilhar
Dividir as dificuldades e multiplicar as alegrias
Receber e conceber, essa é a nossa missão

2 de agosto de 2010

Encontrando a paz


Minha vida é a minha estrada, meu destino é a paz
Uma leve brisa me toca; deixo-me levar
Por muitos lugares passei, tantos caminhos segui
Do meu céu, fiz o meu teto; das estrelas, o meu guia
Do sol, minha fonte de luz; da relva, meu plácido leito
Incansável, sem parada, sempre em frente caminhei
Entrei por muitos atalhos, à minha estrada voltei
Venci muitas batalhas, outros confrontos perdi
Não parei a minha luta, aprendi a ser guerreiro
Muitos horizontes avistei na busca por meus anseios
Percebi que o horizonte é um lugar ao qual nunca chegamos
Mas não desisti e finalmente, cheguei
Por mais que caminhemos, sempre teremos à nossa frente
Um sonho, uma esperança, um desejo a realizar
E fazer do sonho, a busca para o sucesso
Mais do que ter, quero apenas ser
Não peço muito, quero apenas ser feliz
Sigo a minha vida, estou na minha estrada
Encontrei o meu destino, conquistei a minha paz

27 de julho de 2010

Superando limites


Na mansidão da primavera, a floresta respira tranquilidade
O vento dá trégua à paisagem rupestre, nada se move
Tal qual espelho, a superfície do lago reflete cores vibrantes
Flores em profusão; pássaros em algazarra, quebrando a monotonia
Tudo é paz, tudo é mansidão
Repentinamente, quebra-se o silêncio
Do alto da imensa árvore, cai um fruto sobre o sereno lago
O impacto de sua queda forma um círculo em suas águas
Como um sonar, os pequenos anéis vão se multiplicando
Crescendo em profusão, atingindo limites distantes
Apenas um movimento foi suficiente para que um círculo se formasse
E desdobrado em muitos outros, a sua energia se multiplicou
Assim é nossa vida
De pequenos sonhos, formam-se grandes conquistas
De pequenos atos, formam-se grandes vitórias
Muitas vezes atingindo limites inimagináveis
A natureza se encarrega de propagar o que fazemos
E da mesma forma pode propagar o mal
Transformando um pequeno delito em grande tormento
A natureza apenas responde aos nossos comandos
Se plantarmos vento, tempestade iremos colher
Se plantarmos o bem, colheremos amor em abundância
Vamos jogar boas sementes no lago de nossa vida
Os círculos serão formados e multiplicados
Estaremos fazendo com que o bem se espalhe
Levando nossas ações e chegando a lugares distantes
E um dia, quem sabe, nos caminhos da vida
Poderemos reencontrar a energia que um dia criamos

22 de julho de 2010

O princípio do possível


Existo; logo, faço parte do universo. Minha vida é o resultado de um projeto Divino; em que o criador, de sua essência de Luz, fez-nos parte.
Através desse conceito, calquei minha existência a partir do princípio do possível. Nosso mundo é rodeado de circunstâncias e oportunidades; em que, desde crianças, somos levados a acreditar em nossas limitações.
Porém, ao perguntar o que significam tais limitações, muitos de nós têm dificuldade em responder tal questionamento. Para alguns, uma situação pode representar um problema; e para outros, uma solução.
De maneira comum, existem dois tipos de situações: as possíveis e as impossíveis de serem resolvidas. Ou melhor; momentos em que podemos agir e alterar o curso dos acontecimentos ou então, momentos em que não temos escolha e aceitamos o que se passou.
É como o espelho que se quebra. Uma vez trincado, jamais voltará à forma original. Não temos como repará-lo.
Agora; se estudamos para uma prova com determinação, passaremos. Se deixarmos de estudar, sofreremos a consequência de nossos atos.
Analisando por esse ponto de vista, cheguei à conclusão de que tudo aquilo que podemos interferir, podemos conseguir. Poderá ser muito difícil, mas não será impossível de realizar.
Como estamos acostumados a olhar o horizonte e achar que o fim do caminho está longe, nunca damos o primeiro passo em direção aos nossos objetivos. Consequentemente iremos nos acomodar; e, dia após dia, guardaremos dentro de nós sonhos adormecidos que nunca irão se tornar realidade.
Cada sonho não realizado e sepultado em nossa mente; cada vez mais, fará com que percamos o poder de enxergar o horizonte. Assim, nunca saberemos o que se esconde além das fronteiras da imaginação.
Acreditar em nossos ideais, quebrar os paradigmas de nossas limitações, saber que o possível é real; enfim, perceber que somos capazes de trilhar qualquer caminho. São atitudes de quem é o portador da Luz Divina.
De quem aceita e entende os desígnios do Pai; enfrenta as barreiras impostas pela vida, e nunca deixa de lutar.

16 de julho de 2010

Efeito dominó

Em nossa vida, deparamo-nos diariamente com as mais diversas situações, sejam elas favoráveis ou adversas. E, naturalmente, cada um de nós tem um tipo de reação diferente diante de cada acontecimento vivido.
Quando algo nos aflige e nos faz sofrer, geralmente não enxergamos soluções que estão à nossa frente. Assim, deixamos de prosseguir em nosso caminho e continuamos a lamentar. Nada se resolve.
Ou também quando algo de bom acontece conosco e não sabemos lidar com o bem que recebemos, da mesma forma podemos deixar de ganhar. Se não tirarmos proveito da situação e aprender as lições recebidas, as coisas boas que aconteceram acabam-se perdendo no tempo.
Pois bem; se pudéssemos adotar uma tática diante dessas situações antagônicas, o bem e o mal, aplicaríamos o chamado efeito dominó. Parece curioso, mas pode ter tudo a ver.
Quando recebemos uma benfeitoria; precisamos mutiplicá-la, assim como fazemos quando empilhamos vários dominós em fila e empurramos a primeira pedra. Uma derruba a outra, e a natureza se encarrega de completar a ação.
É fazer do bem uma pedra de dominó; que propaga boas ações, mesmo quando deixamos de agir perante aquela causa.
Agora, se estamos diante de fatos que nos prejudicaram e sentimo-nos desvalidos, podemos aplicar o efeito dominó ao contrário. A fila de pedras está caída; tudo deve ser refeito.
É difícil, pois o esforço para levantar a última peça é maior, e assim por diante. A penúltima, a antepenúltima até chegar à primeira pedra.
Dessa forma, teremos conseguido reverter a situação e estaremos prontos a praticar o bem. Cai a primeira peça e o bem se espalha novamente. É um ciclo que nunca termina. O bem o mal andam sempre juntos.
Cabe a nós encontrar a melhor maneira de lidar com tudo aquilo que encontramos em nosso caminho e escolher o bem como nosso guia.
É mais fácil empurrar a primeira pedra e deixar acontecer, do que refazer uma pilha de dominós já derrubados e reconstruir todo o trabalho feito.

12 de julho de 2010

Castelos de areia


Vida breve, vida longa, simplesmente vida
Construída de sonhos, projetos, fantasias
Dias alegres, dias tristes, dias vividos
Passo a passo, dia a dia, olhando para a frente
O momento presente nunca volta, o futuro parece distante
Porém, o que prevalece é o presente
Em terra firme, edificar o caminho que se trilha
Não podemos ir adiante sem que tenhamos segurança
Saber que o chão que pisamos pode sustentar-nos
Seja na vitória, quando galgamos o sucesso
Seja na derrota, quando caímos e levantamos
Enfim; para viver, é preciso planejar cada passo
E que nossa vida seja construída em bases sólidas
Seja paciente e viva intensamente cada dia
Assim, terá a condição de plantar sonhos
E mais do que isso: colher realizações
Não faça como os castelos de areia
Que ao primeiro sopro do vento
Ou o suave avanço das ondas do mar
Desfazem-se e apagam os sonhos
Saiba viver!

5 de julho de 2010

Seguindo em frente


Manhã de sol, o vento sopra sobre a relva
É mais um dia de inverno, recomeço da longa caminhada
A madrugada se foi, prometendo voltar
A lua, ofuscada pelo astro rei, esconde sua alva beleza
A revoada de pássaros anima a paisagem serena
Chega a chuva; e com ela, a vida
Tudo se modifica, tudo se renova
Menos a minha vontade de vencer
A minha vontade de seguir o caminho
A minha ânsia por enfrentar o desconhecido
Hoje, parcialmente desvendado
Só podemos conquistar aquilo que conhecemos
O que nos traz incerteza não podemos superar
Meu novo dia é o primeiro passo
Como se fosse um constante recomeço
Tendo sempre uma nova oportunidade
Os dias parecem iguais
A lua se vai, chega o sol, vem a noite
As estações do ano se sucedem, o tempo é implacável
Mas devemos ser firmes e não desviar do caminho
Pois cada passo que damos rumo aos nossos objetivos
É como se caminhássemos buscando a luz no fim do túnel
E quando lá chegarmos, encontraremos os nossos sonhos
Que já terão se tornado realidade
Olhando para trás, perceberemos que o túnel nunca existiu
Foi apenas o reflexo de nossas dificuldades
Que, na dor, foi o incentivo para que levantássemos
E nos motivaram a levantar e seguir em frente

1 de julho de 2010

Momentos que marcam


Outro dia, estava em minha casa estudando e observei um fato interessante. Ocasionalmente, ao ler algum texto longo e detalhado, sempre encontro alguns tópicos importantes e significativos.
Para facilitar o estudo, procuro destacar aquela parte com uma caneta marca-texto para ajudar na memorização. Posteriormente, ao rever a matéria, vou direto aos pontos marcados e dessa forma economizo tempo e sei exatamente quais os elementos mais representativos.
Isso despertou em mim uma percepção a respeito da vida. Parece engraçado, mas tem tudo a ver. Passamos por diversas situações em que geralmente não damos valor às pequenas coisas ou circunstâncias em que poderíamos tirar proveito de algo.
Como nosso dia a dia é muito atribulado, esses momentos acabam ficando no esquecimento. No entanto, se a cada vez que algo acontecer e isso tiver importância para nós, devemos valorizar esse acontecimento.
Não só valorizar, mas marcar esse instante em nossa mente, pois em algum momento da vida iremos lembrar disso.
Ao lembrar do fato e entender que ele foi importante e pode ser-nos útil; estaremos aplicando o princípio da caneta marca-texto, assim como fazemos ao ler um texto ao estudar.
Nossa existência é muito breve e agitada. Podemos e devemos estar atentos aos mínimos detalhes que ocorrem conosco. Muitas vezes acontece algo que não nos serve, mas no futuro poderá ser de grande valia.
Se não registrarmos essas passagens, as mesmas poderão se perder e não aproveitaremos os benefícios que elas poderiam nos trazer. Precisamos recomeçar tudo de novo.
E assim segue a nossa vida. É preciso estar atento a tudo que acontece em nosso caminho, em nossa dura jornada.
Pode ser que aquele farol distante que quase não enxergamos, seja a luz que vai guiar-nos para o sucesso.

24 de junho de 2010

Aprendendo com a vida


Para se chegar à luz, temos que passar pela escuridão
Se quisermos alcançar a paz, precisamos enfrentar obstáculos
A saúde perfeita só se adquire suportando as enfermidades
O bem estar é fruto do aprendizado de uma vida atribulada
A alegria de viver é resultado da compreensão do sofrimento
A riqueza interior é advinda da compaixão pelo próximo
A felicidade é consequência da assimilação dos dissabores
O sucesso é conseguido ao valorizarmos o fracasso
O sorriso sincero é o espelho de lágrimas derramadas
É assim a nossa vida
Para chegarmos ao topo e conhecer a plenitude espiritual
É preciso entender o significado de nossa existência
E a razão por que tanto lutamos
Tudo no mundo tem duas faces
E é justamente conhecendo os dois lados da moeda
Aprendendo com uma vida de experiências
É que adquirimos bagagem e conhecimento
Para dar valor às coisas que hoje possuímos
E com garra e determinação conquistamos

18 de junho de 2010

Novos caminhos


Pelos caminhos esquecidos no tempo, segue o velho trem
Na longa jornada, sem descanso, incessantemente busca seu destino
Por tantas e tantas vezes, desembarcou sonhos e conduziu esperanças
Quantas paradas, quantos lugares; num infinito vai e vem de emoções
Os velhos trilhos, os mesmo lugares, a mesma sina
Outras paragens não conhecia, desbravar o mundo era sua vontade
Porém, nessa vida tudo se transforma; nada é impossível
Para quem tem sede de mudança e atingir o inalcançável
O velho trem descobriu que o mundo ia além do horizonte
Que poderia levá-lo a outros caminhos
Basta contruir novos trilhos, fazer um novo trajeto
Deixar para trás as dificuldades e os tropeços
Desbravar o desconhecido, ter coragem para prosseguir
Só assim teremos a chance de vencer o medo
E alcançar o sucesso que tanto almejamos
O velho trem quebrou as barreiras e tomou outra direção; seguiu seu rumo
Preste atenção e olhe à sua volta
Perceba que há muitos destinos a serem percorridos e explorados
Construa uma nova estrada e mude o percurso de sua vida
Você verá que há um mundo fantástico esperando por você
Com muitas oportunidades e chances para vencer
Acredite e vá em frente

15 de junho de 2010

O sabor da vitória


Em minhas mãos, o meu destino
O meu caminho sou quem faz
Não sou mais nem menos, sou apenas eu
Sou o universo, sou um grão de areia
Sou a estrela no céu, sou a gota de orvalho
Sou poeira da estrada, sou folha levada ao vento
O sucesso é a minha estrada, a confiança é o meu guia
Cabeça erguida, sempre em frente
Contornando obstáculos, vencendo barreiras
Aprendendo que a vida é feita de momentos
Momentos de aprendizagem, momentos de ensinamento
Vencer não é utopia, chegar lá não e um sonho
Poder lutar com a plena consciência
De que podemos ganhar ou perder, mas nunca desistimos de tentar
E assim é a vida, a vitória é merecimento dos que lutam
Derramam o suor e não se intimidam
Diante dos que se dizem fortes e vencedores
Que nunca se arriscam e não se empenham
Mas sou forte e no meu caminho não me perco
Tanto andei e aqui me encontro
Após tantas batalhas perdidas, venci a guerra
Finalmente cheguei ao topo
Mas quando olho para trás e vejo minha bagagem
Encontro-a repleta de coragem e energia, conquistadas passo a passo
Tesouros preciosos que somente eu sei o valor
E que hojem formam o alicerce do meu sucesso

10 de junho de 2010

O valor da humildade

Já quase noite, cheguei em casa após um cansativo dia de trabalho. Apesar de exausto, agradecia por estar mais uma vez em meu lar, desfrutando do meu conforto e minha segurança.
Deixei minhas coisas em cima da cadeira da sala e rapidamente fui à cozinha preparar o meu jantar. Não havia muito o que escolher; uma sopa de fubá com o pão que havia comprado logo pela manhã, saciavam minha fome.
Um copo de água e nada mais. Enquanto acendia o fogo para fazer a sopa, divagava em meus pensamentos:
- Quantas pessoas nesse momento gostariam de estar no meu lugar? Protegidos do frio e preparando sua refeição. Sei que o que tenho não é muito, mas o suficiente para viver satisfeito.
Logo a sopa ficou pronta e sentei-me à mesa para jantar. Rapidamente limpei o prato e tomei o copo de água. Lavei a pequena louça que se formou na pia, e fui até o banheiro para tomar um banho quente.
Já descansado, deitei-me na sala e liguei a televisão. Não havia qualquer programa que despertasse meu interesse; então desliguei-a e fiquei ali mesmo, meditando acerca da minha vida.
Realmente, era um homem de poucas posses; morava em um barro afastado do centro e precisava tomar dois ônibus para chegar em casa, assim como percorria o mesmo trajeto para chegar ao serviço.
Pensei no meu trabalho; que, apesar de simples, era digno e daquela maneira tirava meu sustento. Minha função era frentista em um posto de combustível no centro da cidade.
Imaginava como seria minha vida se não fosse o pequeno salário que recebia, e dessa maneira conseguia manter-me. Dessa forma, tudo o que hoje tenho, veio com o suor do meu trabalho e da minha dedicação.
Não é muito; mas para mim, tenho o que preciso para viver satisfeito. Quantas pessoas têm tanto e cada vez querem mais.
Preocupam-se tanto com dinheiro, que sempre acham pouco o que recebem. Nunca estão realizados com seu trabalho; querem sempre ganhar mais e via de regra, põem defeitos nos seu colegas ou superiores.
Consideram-se cansados de tanto trabalho e tanta contrariedade. O apego aos bens materiais leva as pessoas a considerarem-se importantes pelo que têm, e não pelo que são.
Quantos deixam de comprar comida para ter roupas de grife ou simplesmente não pagam o aluguel para ter um carro do ano. Só pra impressionar os vizinhos, a família ou mesmo os colegas de trabalho.
Mas nesse mundo; percebi que, em determinadas situações, podemos e devemos aceitar condições que a vida nos oferece. Não que estejamos passando por cima de nossa dignidade; ou "engolindo sapos", como dizem.
É que o ser humano, por natureza, dificilmente pensa no futuro quando fatos negativos acontecem em sua vida. Não pensa que aquele trabalho, apesar de estressante e cansativo, traz-lhe o sustento e a oportunidade de crescer profissionalmente.
Não dá valor ao pouco que tem e cada vez quer mais, perdendo-se em sua ambição desenfreada. Mas fazer o quê? Cada um tem um modo de encarar a vida. Pelo menos posso viver de maneira digna, apesar de simples.
Aprendi a viver amando tudo o que tenho. Se posso ter minha moradia, alimentar-me de maneira adequada, se tenho saúde e disposição, pouco mais preciso para ser feliz.
A partir do momento em que percebo que tenho saúde, disposição para o trabalho, amigos verdadeiros, a família ao meu lado, um teto que me abriga, dispor de uma boa alimentação; posso considerar-me um homem plenamente realizado.
Meu horizonte está sempre ao meu alcance e nunca me perco em minhas pretensões. Ambição? Claro que tenho. Mas de maneira equilibrada, passo a passo. Se o meu destino está reservando alguma coisa boa, será em virtude de meu merecimento; e com certeza, chegará na hora certa.
Acredito que uma força superior rege nossas vidas e sempre há tempo para recomeçar. Cada dia é uma nova oportunidade e todos aqueles que se encontram desorientados em seu caminho, podem ter certeza que Deus está sempre ao nosso lado.
Não importa quantas vezes sucumbimos por não seguir a luz Divina, o que importa é querer levantar. Erguer a cabeça e seguir em frente, vendo o mundo com outros olhos.
Adormeci ali mesmo na sala. Depois de uma noite tranquila de sono, levantei-me e tomei um bom café. Após um banho relaxante, troquei-me e saí para o trabalho. Uma longa caminhada até o meu destino.
Levava no bolso apenas o dinheiro para o ônibus. A um quarteirão do ponto onde tomaria minha condução, deparei-me com uma humilde senhora que abordou-me e assim disse:
- Meu senhor, faz dois dias que eu não como; será que poderia me arrumar um trocado para comprar um pão e matar minha fome?
Pensei comigo:
- Esse é o único dinheiro que tenho para chegar até o trabalho. Se dispuser dessa quantia, como farei para chegar lá?
Sem pensar, coloquei a mão no bolso e dei o que tinha àquela senhora. Sabia que teria que ir a pé para o trabalho, pois nada mais tinha comigo.
Ela então agradeceu, abençoou-me pela minha gratidão e partiu em busca do pão que tanto queria.
Cheguei atrasado ao serviço e levei uma repreensão de meu chefe. Fazer o quê? Mas pelo menos percebi que, mesmo com minha pobreza material, ainda tinha condições de fazer feliz uma alma que nem um teto tinha.
Minha riqueza e meus valores são outros. Valiosos para mim e tão distantes para tantas pessoas que se acham poderosos e inatingíveis.
Esquecem-se de que o sol brilha para todos, mas só é aquecido aquele que tem o coração aberto para a humildade.

5 de junho de 2010

Ventos do destino


Tudo muda, tudo passa, tudo se transforma
O tempo modifica o próprio tempo
O que hoje é um sonho por um futuro melhor
Amanhã pode ser relegado a mera aspiração esquecida num canto
De um passado sem lutas, de um passado sem glórias
Entretanto; podemos colorir essa realidade
Podemos aplicar aos nossos sonhos, nossa determinação
O tempo é como o vento que sopra sobre as dunas
Nenhum momento é igual, nenhum instante se repete
As dunas mudam de lugar, mas são sempre areia
Nós somos as dunas e o vento é o nosso destino
Temos a capacidade de domar o vento e virar o jogo
Se hoje somos afligidos pelo que não conseguimos vencer
Nossos passos firmes nos levam ao conhecimento e ao sucesso
A própria vida nos ensina, modificando nossa concepção do mundo
Tudo está ao nosso alcance, basta observar
O mesmo metal que forja uma espada fatal, transforma-se em singela flauta
Trazendo paz e alegria aos que a cercam com sua enebriante música
Que assim seja; sendo duna ou areia, nunca nos dobremos à força do vento
Mudar é inevitável, acreditar é preciso, lutar é fundamental

31 de maio de 2010

Tua presença


Ah! quem me dera ser o sol para acordá-la de manhã
Ah! quem me dera ser a lua para embalar seus sonhos
Ah! quem me dera ser a chuva para banhar sua alma
Ah! quem me dera ser o vento para acariciar seus cabelos
Teria, em mim, a felicidade em sua plenitude
Meus dias teriam mais vida e mais graça
Arco-íris de sonhos, reais fantasias, o sabor de ser feliz
O que sou, não me pertence; em ti, moram meus pensamentos
Acordei, afinal você existe
Tê-la em meus braços não é uma quimera, é realidade
Meu destino cumpre-se com tua presença, minha sina é por ti viver
Não sei se existo em mim ou vivo apenas em ti
Não sei se nasci para te amar, ou se em ti eu me encontro
Só sei que existo, só sei que te amo

28 de maio de 2010

Força e confiança


Na incerteza de um futuro melhor, aquela gente sofrida ainda acredita
Olha para o céu e pede que a chuva traga-lhes vida
Devolva-lhes a paz, tão distante de sua relidade
Trabalho duro, de sol a sol
Falta-lhes o pão, sobra-lhes esperança
De que um dia os campos revivam
Que os rios tenham água em abundância
Que os peixes voltem a saciar sua fome
Que eles possam enfim, trabalhar com dignidade
Viver é preciso, sonhar é imprescindível
Quem sonha e pede com fé, sempre é atendido
Pois Deus sabe do merecimento de cada um
Quantos dias e noites em fervorosas preces
Quantos momentos em que tudo parecia perdido
Mas a recompensa finalmente chegou; os pedidos foram atendidos
Veio a chuva e, com ela, a certeza de grandes mudanças
Os campos ganharam vivacidade, água voltou aos rios
A alegria de viver retornou àquela gente
Que tanto suplicou e hoje agradecem
E continuam a trilhar seu caminho, seguindo o seu destino
Pelas intrincadas sendas em que a vida os conduziu
Pode ser que um dia a seca volte
Os rios podem desvair-se de suas águas
O sofrimento pode bater à sua porta
Nada fará com que eles desistam de lutar
A força da sua fé trouxe-lhes coragem
E ensinou-lhes que, para quem verdadeiramente acredita
Sempre haverá um amanhã de esperança


20 de maio de 2010

Quebrando barreiras


Há muitos séculos, havia um reino distante comandado por um tirano; que, em razão de seu cruel poder, fazia e desfazia tudo ao seu bel prazer.
O povoado era habitado por um povo simples, mas de muita dignidade e coragem. Viviam da colheita do milho e da criação de vacas para seu próprio sustento. Assim era seu cotidiano.
Esperavam, porém, que um dia as coisas melhorassem e eles tivessem uma condição melhor de vida. Um dia; o rei, temeroso por perder seu poder em virtude da insatisfação de seus súditos, tomou uma decisão que viria a mudar a vida de todas as pessoas daquele lugar.
A partir desse instante, decretou a todos que era proibido sonhar. Visando o cumprimento integral de suas ordens, resolveu contaminar o único recurso de água que abastecia as casas do povoado.
A pequena nascente do rio que banhava a vila, ficava sob os domínios do rei opressor. Sendo assim; poluiu o manancial, até então límpido e cristalino, com a poção maléfica da incredulidade e do medo.
A partir daí, tudo mudou. As pessoas, de alegres camponeses e cheios de vida e sonhos, passaram a plebeus despojados de vontades. Obedecendo cegamente às ordens do rei, tudo transcorria conforme as determinações do ditador.
Nada progredia, os homens e mulheres viviam apenas para o trabalho, cujo suor sustentava o reino. As crianças não mais brincavam, tudo era sem cor e sem vida. Os sonhos já não faziam parte de suas existências.
Como o reino era cercado por imensas muralhas e vigiado por um batalhão de guardas fortemente armados, tudo levava a crer que esse cenário seria eterno.
Um dia, porém, as coisas mudaram. Um velho alquimista que pela região passava, notou um certo clima de insatisfação que vinha do lado de dentro das muralhas. Algo estranho pairava no ar.
Sensitivo que era, imaginou que pudesse contribuir para que aquela situação se acabasse. Disfarçado, adentrou o portal que guardava a grande fortaleza e passou a buscar elementos que confirmassem suas suspeitas.
Chegou perto dos aposentos do rei, e sem que percebessem, escutou o mesmo falando com um dos guardiões para que fosse até a nascente de água e aumentasse a quantidade da poção maléfica.
O rei queria que os sonhos de seu povo nunca mais voltassem; e assim, aumentado a dose da poção, as pessoas certamente continuariam à mercê dos caprichos do cruel déspota.
Percebendo a situação, o alquimista que estava disfarçado, seguiu o guardião até a fonte e notou que poderia fazer algo em prol daquele povo oprimido e que tanto sofria. Era seu dever trazer novamente o alívio àquele povo.
Secretamente, no porão do palácio do rei e com suas habilidades mágicas, criou uma poção encantada em que o principal ingrediente era a fé.
Sabia que, se a nascente que abastecia o povoado fossem tocada pela poção da fé, todos passariam a acreditar em seu potencial e poderiam acabar com o sofrimento que os abatiam há tantos anos.
O velho alquimista, para não ser descoberto, embrenhou-se pela madrugada levando consigo a poderosa poção. Sem ser notado, despejou todo o conteúdo nas águas da fonte que brotava do solo.
No dia seguinte, as pessoas puderam se abastecer da água provinda da poção da fé e instauraram grandes mudanças em suas vidas. Os sonhos voltaram; passaram a acreditar em suas forças e, com isso, começaram a derrubar as barreiras de seu pensamento.
Perceberam que a opressão que sofriam até então, não era tão grande como imaginavam e realmente sentiram a força de trabalharem unidos. Começaram um levante contra a tirania, uniram-se para destituir o rei e mais do que isso: derrubaram as muralhas que cercavam seu povo.
Assim como os limites que cercavam suas vidas, os limites territoriais já não mais existiam. A alegria e a confiança voltaram. Os habitantes do povoado voltaram a sonhar e compreenderam que somente com a fé, poderiam trazer de volta a tão sonhada felicidade.
O velho alquimista, que até então não tinha morada, passou a habitar o povoado. Sentiu que ali era o seu lugar, onde encontrou pessoas capazes de acreditar em si mesmo.
Por onde passava; era ovacionado e por todos era agradecido, em face da grande mudança que promoveu a todos. Em resposta a todos os agradecimentos, o alquimista então respondeu: não agradeçam a mim, agradeçam a vocês mesmos.
A fé está dentro de cada um. A partir do momento em que descobriram a verdadeira fé, não houve barreiras que segurassem a força do pensamento.
Vocês venceram.

17 de maio de 2010

Paz e felicidade


Não é preciso muito para ser feliz
A felicidade está dentro de nós
Escondida em um sorriso, oculta em um raio de sol
Cada manhã, quando despertamos com saúde
Cada noite, quando nos chega o sono relaxante
Cada refeição, que a nós alimenta e revigora
São momentos de satisfação, em que tantos não percebem
Que ser feliz é amar o que se tem
Ter como meta viver em harmonia com o universo
Conter as ambições, ser justo e fiel
A riqueza não é sinônimo de felicidade
O ouro não nos traz a paz
A paz está nas pequenas coisas, esse é o nosso tesouro
Ao nosso redor, diariamente encontramos motivos para viver bem
Acredite, ser feliz é estar em paz consigo
E repartir essa felicidade com quem nos cerca
Não existe segredo

12 de maio de 2010

Vivendo intensamente


Vida é luz, vida é comunhão
Viver é lutar e propagar a chama Divina
Sublime centelha que move o mundo, aquecendo os corações
Em nós habita a brasa ardente, fonte de energia que nos conduz
É o fogo que nunca se apaga, é o amor que resplandece
Somos a vela que se acende, e para si não guarda sua luz
Sua chama se multiplica
Trazendo vida às velas que o tempo apagou
Assim como podemos ser iluminados
Pela mesma chama que um dia acendemos
O destino é implacável, a vida é breve
O tempo dita as regras
O inverno açoita, a primavera renova
Não perca tempo, viva intensamente
Da noite, faça o dia; das trevas, faça a luz

10 de maio de 2010

Vamos à luta


Já passava da meia-noite e o tic tac do relógio agia como se fosse um guardião do tempo. Sem piedade; anunciando, minuto a minuto, as horas que se passavam naquela fria noite.
Apesar do sono se fazer presente, as preocupações do dia transcorrido vinham de maneira involuntária à minha mente. Mesmo tendo firmeza de pensamento e confiando em minhas potencialidades; meus olhos continuavam a mirar um pequeno traço de luz, que atravessava a janela do quarto.
Em meus devaneios, pensava no dia transcorrido e como poderia lidar com situações que a mim pareciam incomodar, embora soubesse que tinha capacidade para transpor qualquer barreira.
Nosso pensamento é muito poderoso, temos a capacidade de aguçar nossa imaginação tanto para o bem quanto para o mal. Devemos afastar de nosso caminho qualquer pensamento negativo, por saber que isso é apenas o reflexo inverso dos bons pensamentos.
Se mantivermos esses maus pensamentos conosco; estaremos inserindo em nossa imaginação uma semente que, se não for extirpada imediatamente, pode se transformar em uma árvore e dificultar nosso caminho.
Fui, então, pensando em todas essa conclusões. Sei que nenhum dia é igual ao outro, por mais corriqueiro que possa parecer.
Os bons pensamentos vieram, então, à minha mente. A alegria se fez presente e serenamente, consegui adormecer.
Ao acordar, logo pela manhã, abri os olhos e agradeci pelas horas que consegui dormir. Levantei-me, tomei um banho reconfortante, aqueci-me com um café bem quente e fui à luta.
Porque a vida não tem parada, mas é nosso mister viver com dignidade e sempre em frente. Obstáculos sempre existirão; mas para quem possui o espírito elevado, o positivismo e a alegria de viver sempre estarão presentes.
Nada o deterá.

5 de maio de 2010

A essência da vida


Mais do que enxergar, os olhos captam a essência da vida
Veem além do imaginável, atravessam as barreiras do óbvio
São fachos de luz na escuridão, são as janelas da alma
As lágrimas provindas de seu pranto são puro acalento
Sua visão pode transpor os horizontes, não tem fronteiras
Alegria, tristeza, angústia, felicidade...
Muito podemos expressar através do olhar
Deixar transparecer nossas emoções
Fazer fluir nossos sentimentos
Olhar é viver, olhar é sonhar
Enxergar nossos devaneios em meio às agruras sofridas
Olhar é perceber que a concepção da beleza está nos olhos de quem vê
Olhar é irradiar alegria a todos os que nos cercam
Olhar é purificar, destilar as sensações
Em um mundo real e pungente, a matéria é imutável
Mas aos olhos de quem enxerga além do incontestável
Tudo se transforma, tudo se renova
Alcançamos a capacidade de transformar o mundo
Transmutando as cores do lado cinzento da vida

3 de maio de 2010

Ponte para a luz


Por que se preocupar com a tempestade, se a chuva vai passar...
Por que se amedrontar pela sombria noite, se o sol vai nascer...
Por que se lamentar pelo fracasso, se a cada dia podemos recomeçar...
Por que se sucumbir à dor, se a cura está em nossas mãos...
Tudo vivemos, muito podemos
Não há obstáculo que resista à força da fé
É preciso ser forte, é preciso lutar
Porque somos capazes, porque temos a luz da sabedoria
De quem reconhece as suas limitações, mas sabe de suas capacidades
De conseguir transformar em matéria, tudo o que deseja
Fazer dos nossos sonhos, a realização de nossas aspirações
Pois uma vida de sucesso reside no berço de nossa coragem
Que é a força que nos faz prosseguir, e nunca desistir
Sempre encontraremos pedras em nosso caminho
Porém, é nosso dever reunir cada pedra
E construir uma ponte que ultrapasse as barreiras do impossível

28 de abril de 2010

Encantamento


Dia de sol, dia de luta
O beija-flor começa sua jornada
De jardim em jardim, de flor em flor
Busca o néctar, elemento vital
Fonte de sua energia, razão de sua existência
Sua beleza confunde-se com a das flores
Suas primorosas cores encantam a paisagem
Seu bater de asas é tão frenético e arrebatador
Quanto às batidas de seu pequeno coração
Sua vida é um turbilhão de energia
A pequena ave sabe que seu destino é incessante
A indolência é algo que ele não conhece
Seu único propósito é lutar
Lutar para vencer, lutar para sobreviver
Sabe, porém, que nunca está só
O sol é seu guia
As flores, seu alento
A árvore, sua morada
E assim, o beija-flor retribui com sua graça e beleza
Mostrando-nos muitos caminhos
Ensinando-nos que a vida é lutar e encantar

23 de abril de 2010

Reviver


Depois de tanto caminhar, parei um pouco para descansar. Foram dias e dias de caminhada e finalmente, após incessante busca, encontrei um bom lugar para meu tão sonhado remanso.
Sentado à beira de um riacho; renovei minhas forças, saciando minha sede em suas límpidas águas. Um pouco mais à frente, uma frondosa árvore convidava-me para um merecido repouso.
A velha mangueira, certamente mais antiga que minha breve existência, era testemunha de muitos anos passados e tantos acontecimentos.
Comecei a observar a paisagem que revelava-me muito mais do que se pode imaginar. As folhas da mangueira caíam sobre o gramado, formando um imenso tapete verde.
Percebi que esse acontecimento pouco tempo duraria e que deveria aproveitá-lo enquanto durasse. Logo chegaria a ventania e tudo seria desfeito. Por mais que outras folhas caíssem, o cenário não seria o mesmo.
Os pássaros que se empoleiravam nos galhos da árvore, buscando o alimento nos frutos que ali brotavam, também eram sinal de uma existência ímpar. Talvez se, amanhã ao mesmo lugar voltasse, não encontraria os mesmos pássaros. E, possivelmente, os frutos não mais existiriam.
E assim, divagando sobre a vida, adormeci. Por horas a fio, sonhei profundamente. Em meus sonhos, imaginei um mundo em que tudo era eterno e que nada seria modificado pelo tempo.
Seríamos sempre felizes, e a natureza seria plena e absolutamente intocável. As árvores sempre belas, os pássaros sempre a cantar, as águas sempre limpas e claras, o sol com o mesmo fulgor.
Sabia que estava sonhando, mas teimava em não acordar. Queria ficar em meu novo mundo, cercado de sonhos e fantasias.
Mas como tudo tem seu tempo; acordei em meio a uma revoada de pássaros, que faziam algazarra nas águas do riacho à minha frente. Voltei à realidade.
Lembrei-me do sonho que tive. Ao mesmo tempo que lamentava não poder desfrutar da plenitude de uma vida perfeita, percebi que a excelência dessa mesma vida está sua imperfeição.
Cada um de nós necessita conviver com o incerto, e com a renovação dos caminhos. Porém, é importante que desfrutemos do momento presente, pois nunca se sabe se esse instante será revivido.
Como as folhas que o vento levou...

18 de abril de 2010

Varinha de condão


Vida mágica, fantasia ou realidade?
Vontade de vencer, mania de lutar
Esperar o inesperado, combater o imaginário
Alcançar o inalcançável, vencer o impossível
Colorir as nuvens; azul, amarelo, verde...
Qual é a cor verdadeira?
Compor a melodia dos pássaros; violino, piano, flauta...
Qual é o som legítimo?
Fazer esculturas de vento; pequenas, grandes, gigantescas
O vento é intocável.
A vida é real; a coragem, nosso escudo
O mundo nos mostra o caminho; a alma, nossos sonhos
Cada experiência pode ter vários destinos
Tudo o que parece imutável pode ser celeiro de recomeços
Podemos criar uma existência alternativa
Podemos fazer da vida um palco de novas ações
O mais importante é criar... criar sempre
É fazer do desejo, a nossa varinha de condão
Realizar o que se quer, saber onde se quer chegar
Um desatino consciente, em um mundo de fábulas
Viver é inevitável a todos
Sonhar é dádiva dos que acreditam na vida

12 de abril de 2010

O infinito possível


Em longínquas águas, refugia-se a solitária ilha
Por mares bravios cercada, o céu é a sua companhia
As gaivotas são as únicas testemunhas de sua existência
Noites frias, dias ensolarados, tempos chuvosos
A vida segue seu rumo
As ondas, incessantemente, banham suas margens
São novas águas que chegam a cada dia
Como se quisessem fazer um agrado, mas em vão
A terra continua a mesma
O isolamento parece ser sua sina
Porém, nem tudo o que parece é definitivo
A ilha não é somente um pedaço de terra cercado de água
É apenas a parte visível que podemos enxergar
O que não conseguimos avistar, mostra-se impassivelmente submerso
Sua essência é de grande magnitude
A ilha é tão somente o cume de uma grandiosa montanha
Que a tantas outras iguais, une-se através do solo marinho
Forma-se uma imensa cadeia rochosa
O insípido solo muda, então, seu destino
Outrora, uma terra reclusa; hoje, agrupamento de forças
Nenhuma ilha é isolada, nenhum homem é só
A vida é muito mais: a ilha, agora, é montanha
O homem é o infinito possível

8 de abril de 2010

Em busca do sucesso


Imponente, do alto da grande montanha, a águia observa sua presa. Como se fosse um radar, a bela ave mira o alvo e parte então em busca de seu objetivo.
À grande velocidade e investida em seu alvo, ela segue firme buscando a caça. A presa percebe sua presença e tenta escapar, mas em vão.
A determinação e a coragem tornam-se essenciais nesse momento. A águia sabe que, se bem executada, sua investida será positiva.
A presa, afinal, é capturada. Foi um lance conquistado com afinco e maestria. Muitos anos de preparação e estudo foram a base para uma sequência de êxitos. Em sua vida, nem todas as incursões foram positivas.
A experiência adquirida e a perseverança fizeram com que seus resultados progredissem a cada tentativa.
Hoje, a serenidade e a sabedoria trouxeram-lhe a maturidade. A águia sabe exatamente como agir, nos momentos e condições exatas.
Façamos como a águia: deixemos que o decorrer do tempo traga-nos sua astúcia e paciência. O sucesso será inevitável.

1 de abril de 2010

Caminho de luz


Andei por tantos caminhos sem enxergar o horizonte
Infinitos passos em busca de luz
Quanta sede... e não havia água
Quanta fome... e não havia pão
Quanto frio... e não havia cobertor
Quanto cansaço... e não havia pousada
Mesmo cansado, sentindo frio, faminto e sedento; prossegui
Por saber que nada é eterno e tudo é possível, insisti
Percebi que não existe fim, e sim, vários começos
Olhei para o alto, respirei fundo e segui a luz do meu pensamento
Os caminhos se abriram e as oportunidades apareceram
Segui a nova estrada, onde de tudo pude desfrutar
A água, que aliviou minha sede
O pão, que matou minha fome
O cobertor, que a mim aqueceu
A pousada que, enfim, me abrigou
Percebi que me encontrava em um caminho de luz
O horizonte, afinal, consegui avistar