21 de agosto de 2009

Recordações ...


Esta é uma homenagem ao meu avô materno Doca, ou Pedro de Paula Monteiro como queiram. E também à minha avó Mariquinha, ou Maria Azália Maciel Monteiro. Ambos fazem aniversário neste mês.
Vovó Mariquinha faria no dia 12, 121 anos e Vovô Doca faria hoje 126 anos.
Abaixo, transcrevo a mensagem que recebi de meu querido Tio Amilton, homenageando-os com poesias há muito tempo feitas, e que hoje, justamente louvamos nossos queridos mentores. Parabéns!

" Hoje, 21 de agosto, faz 126 anos que papai nasceu!
E mamãe, no último dia 12 de agosto, fez 121 que veio ao mundo!
Há muitos anos, em um Encontro dos Irmãos, quis prestar-lhes homenagens através destes meus simples e sinceros versos, que hoje recordo com vocês: "

Meu pai

Homenzarrão em tudo e, no entanto,
Foi sempre um cordial em atitude.
Viveu a honestidade... e com virtude
A caridade, tal qual fosse um santo...

Servindo a todos com solicitude:
A sua casa foi o teto, o manto,
Que abrigou pessoas sem um canto...
E acolheu parentes amiúde...

Homenzarrão, porém, tal qual criança
Se comovia a ponto de chorar
Com as emoções de seu intenso amar...

Seus olhos muito azuis tinham a esperança
E a força de um amor que não se cansa
De - mesmo na injustiça - perdoar!


Minha Mãe

Exemplo de firmeza, amor e atividade,
Dizia que “descanso é pra depois da morte”,
Jamais esmorecia, achando que a sorte
Estava no trabalho e força de vontade!

Mantinha a fé em Deus, vivida em seriedade;
Lutava qual ninguém, buscando no seu norte,
Dotar os seus rebentos de um caráter forte,
Com base na justiça e na dignidade.

Compreendia a vida sempre com um rifão.
Na míngua ou na fartura estava sempre pronta
A agradecer ao Pai a nossa situação...

Rezando o seu rosário à noite, conta a conta,
Pedia que seus filhos dessem à união,
À fé e à caridade a mais alta monta!.


Um beijo no coração de vocês.

Amilton

1 comentários:

Anônimo disse...

Bela lembrança...

bjs.

Márcia