29 de setembro de 2009

O destino da gotinha

Era uma vez uma gota de água. Nunca se deu conta de onde veio.
Só sabia que, assim como tantas outras, vivia no oceano e ali era feliz.
Protegida por estar no meio de tantas algas e peixes . Ali era seu lar.
Um dia, uma onda de calor assolou a região e por força da natureza, parte dessa água se evaporou e lá se foi a nossa gotinha de água para o céu. Juntou-se a outras gotas para ela estranhas.
Tudo era diferente, o clima, o ar, as novas companheiras.
Nossa amiga gotinha sentia-se solitária em meio a tanta confusão.

Ouvia que ficariam lá por pouco tempo e iriam descer novamente.
Mas para sua surpresa, ao cair a tão esperada chuva, o vento as empurrou para o continente e as gotinhas foram cair na cidade grande.
Se antes o ambiente era estranho, agora tornava-se tenebroso para ela. Caiu em uma rua cheia de seres esquisitos, um chão muito sujo.
A todo momento perguntava o que era feito de suas companheiras e seu habitat original. Que nada!


Ninguém dava ouvidos a ela e nem sabiam de onde ela vinha.

A enxurrada foi levando a gotinha pelas sarjetas da cidade grande e foi parar em um canal de escoamento de água pluvial.

Mais lugares estranhos e ela, coitada, desesperada por estar longe de casa, sofrendo e não entendendo porque tanto sofrimento.

Estava em um lugar escuro e abafado junto com tantas gotinhas de lugares que ela não conhecia.
Mas como não podia fazer nada, deixou seguir seu destino. Mais à frente, a água do canal foi desaguar em um rio muito poluído e a nossa gotinha desesperou-se ainda mais.
Já estava cansada de perguntar pela sua "casa" e suas companheiras tão queridas. Ninguém a conhecia e nem sabia de nada.
Quase sem forças e aceitando seu destino tão triste, repentinamente, o rio poluído foi desaguar exatamente no mar que deu origem à gotinha.
Quanta felicidade! De volta ao lugar que tando adorava.

Reencontrou suas amigas e enfim, voltou a ser feliz.
Por força das circunstâncias da vida, teve que passar por muitas dificuldades para perceber que o sofrimento nem sempre significa derrota, e sim um caminho para algo melhor.




7 comentários:

Anônimo disse...

Pedro, a sua imaginação juntamente com o sentimento é = doçura.
Todos os dias entro em seu blog somente para me sentir viva, sou uma senhora professora aposentada como tantas... mas estou sentindo uma alegria em poder ler os seus textos.
Que DEUS abençõe todos os seus passos.

abraços
Profa. Zeze

Anônimo disse...

Adorei o texto e o comentario da profa. Zeze, você é uma jóia rara!!
Te amo
bjs.
Márcia

Anônimo disse...

Adorei o texto!! a gotinha então nem se fala!! fofaaaaaaaaaa
Agradeço a profa. Zeze pela indicação.

Renata

Continuarei acompanhando o seu blog.

Anônimo disse...

Nossa! deveriamos aplicar em nossas vidas.

abraços

Gustavo

Anônimo disse...

É de palavras e pensamentos postivos que precisamos, pois é muito dificil enfrentar a vida a seco! gosto muito de tudo que você escreve.

José Carlos

PÉ DE PITANGA disse...

Pelo visto arrumei vc como concorrente das letras... rs
Parabéns, fico show.
Bjs

Anônimo disse...

Gostei da parabola.

Sucesso

Meire


Escreva MAIS