9 de dezembro de 2009

Ensinamentos


Cai a chuva. O respingo das gotas em minha janela faz-me lembrar os tempos de mocidade (apesar de me sentir jovem). Era época de tiro de guerra, e eu acordava ainda de madrugada.
Minha mãe, como sempre, acordava antes de mim. Passava minha farda, deixava tudo pronto e ia à cozinha para preparar o café. Aquele aroma inconfundível tomava conta da casa.
Eu, ainda sonolento, levantava-me e ia ao encontro dela. Dava-lhe um beijo e tomava o delicioso café, enquanto conversávamos.
Voltava ao quarto, vestia minha farda, despedia-me dela e ia feliz cumprir meu dever cívico.
Esse período nunca saiu de minha lembrança. Minha mãe já não está entre nós, mas aquele contato diário foi muito importante para mim.
Tínhamos sempre muitos assuntos para conversar. Era um momento só nosso.
Até hoje, quando cai a chuva e tomo um cafezinho, lembro-me de minha mãe, Maria Antônia.
Era professora, ensinou a muitos alunos em sua linda carreira. E ensinou-me que a vida é feita de momentos, nada é igual; e que devemos sempre mudar. Tudo tem seu momento certo.
Um dia acaba acontecendo...

6 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns a Maria Antonia que criou um filho tão maravilhoso, sensivel, educado, amoroso, feliz,tranquilo, integro, inteligente...
Percebo em seus textos a bela eduacação de sua mãe, pois transmite muita alegria e amor.

Profa. Zezê
(hoje sou professora aposentada do estado de Minas Gerais, adorava os meus alunos do ensino fundamental.

Anônimo disse...

Bons tempos.

Saudade, saudade, saudade...

bjs.

Márcia

Anônimo disse...

Mãe é mãe... e pronto!!

Tenho muita saudade da minha tambem.

valeuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

Henrique

ZAZÁ LEE disse...

Que texto bonito Pedro.
Sorte a sua. A vida proporcionou isto a você.
Tantos não tiveram a mesma oportunidade.

Anônimo disse...

Fiquei emocionada com o texto.
Voltei ao passado com tantas recordações; cheio de bolo de fubá com café em companhia de meus pais.

Marlene

Anônimo disse...

Eu tambem fiquei emocionado.


Carlos

Bonito texto.