27 de fevereiro de 2012

Brasa adormecida

 
A brasa está adormecida
Dentro dela, ainda pulsa uma fagulha de esperança
Por mais que o tempo passe, o fogo não se apaga
O pequeno coração ardente insiste em queimar
É a sua sobrevivência
O tempo pode passar
A tempestade pode chegar
Mas a brasa permanece acesa
Um dia, chegará o vento salvador
Que, sobre a brasa, soprará
Aí então a vida renascerá
A pequena fagulha irá se reacender
E a fogueira da vida reinará

3 comentários:

ღα૨gѳђ ખ૯૨ท૯૮ઝܟ disse...

"Deus prometeu com certeza chuvas de graça mandar..."

Aném!

Anônimo disse...

A pequena fagulha está viva dentro de nós.. e todos os dias ela se renova. Amanhã será que que hoje.

Márcia

Anônimo disse...

A tempestade pode chegar, mas sei que existe outro dia....

Seu blog está cada dia mais bacana.


Célio