13 de fevereiro de 2012

Semente de esperança


A lágrima caia lentamente
O pranto fazia com que mais lágrimas brotassem
Os olhos já não conseguiam enxergar o horizonte
Mas as lágrimas insistiam em cair
No solo, repousava uma semente de esperança
À espera de uma gota de vida
O tempo passava e a semente não desanimou
Sua fé a fez saber esperar
De repente, aquela lágrima do pranto caiu no chão
Lágrima após lágrima, o solo foi sendo irrigado
E assim, a pequena semente voltou à vida
Brotou, fez-se árvore e os frutos vieram
Nada foi em vão
O tempo soube conduzir a sua existência

4 comentários:

Anônimo disse...

Assim é você!!!

Beijos

Márcia

A sua FÉ tambem me fortalace.

Anônimo disse...

Muito bonito!! fiz a impressão deste texto para ler todos os dias.... Gosto do seu blog! sempre encontro um bom texto para melhorar o meu dia.

Célio

anareis disse...

Querida(o) amiga(o). Estou fazendo uma Campanha de doações pra ajudar os jovens rapazes que estão internados no Centro de Recuperação de Dependentes Químicos onde meu filho está interno também.Lá tem jovens que chegam só com a roupa do corpo,abandonados pela família. Eles precisam de tudo:roupas masculinas,calçados,sabonetes,toalhas,pasta de dentes,escovas de dentes,de um freezer, Roupas de cama,alimentos. O centro de recuperação sobrevive de doações,são mais de 300 homens internos.Eles merecem uma chance. Quem puder me ajudar pode doar qualquer quantia no Banco do Brasil agência 1257-2 Conta 32882-0

Déia disse...

Como se diz: o tempo sempre cura tudo!